Governo cria força-tarefa para monitorar reclamações de crédito consignado

A criação de um ranking com as instituições campeãs em queixas e um sistema de bloqueio de ligações estão entre as ações previstas para combater fraudes

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça, e a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, ligada ao Ministério da Economia, iniciaram uma força-tarefa para combater fraudes no empréstimo consignado e diminuir o superendividamento da população. A iniciativa também conta com o apoio do INSS. Para os correspondentes, a medida deve melhorar a qualidade das operações de crédito consignado.
 
Um dos motivos que desencadearam a criação da força-tarefa foi a explosão do número de reclamações. Só para se ter uma ideia, entre janeiro e julho deste ano, foram registradas 40.663 queixas relacionadas ao consignado na plataforma do governo consumidor.gov.br. De acordo com a Senacon, o número é 127% maior em relação a todo o ano de 2019. Na faixa etária acima dos 60 anos, a alta é de 157% no mesmo período.
 
A alta expressiva das reclamações também está ligada ao aumento do volume das contratações de empréstimo com desconto direto na folha, que nos sete primeiros meses deste ano somaram R$63 bilhões, totalizando 11,1 milhões de operações.
 
Entre as medidas previstas para combater fraudes estão a criação de um ranking das instituições líderes em reclamações, uma campanha de boas práticas, além de um sistema de bloqueio de ligações, que ficará à disposição dos consumidores que não queiram receber ofertas de empréstimos de instituições financeiras.
 
Saiba mais